Bens de consumo

As empresas de bens de consumo vêm buscando aumentar a escala e o escopo dos negócios e, simultaneamente, racionalizar as operações para alcançar o crescimento sustentável. Embora cada setor — duráveis, consumo, vestuário, especialidades, etc. — apresente desafios específicos, algumas questões são compartilhadas por todas as companhias.

A inovação continua a ser a maior prioridade dos gestores, na medida em que as empresas lutam para criar novas marcas e produtos ou, ao menos, lançar novidades que tragam aumento da receita. Habilidades de negociação e integração tornam-se fundamentais num cenário de aquisições e globalização. Ao mesmo tempo, a maioria das companhias tem que disputar uma base de clientes consolidada. Muitas reagem racionalizando seus portfólios e alavancando os investimentos em marketing. Enquanto isso, surgem novas perguntas sobre o modelo operacional ideal e a estratégia de suprimentos como formas de aumentar a lucratividade.

O crescimento tornou-se um enorme desafio em todos as praças consumidoras, especialmente para as marcas líderes. As oportunidades derivadas do aumento de riqueza, crescimento da população e abertura de novos mercados esgotaram-se para muitos, especialmente diante do atual cenário de crise econômica. A concorrência entre empresas, marcas, produtos e mensagens de marketing tornou-se ainda mais acirrada, encurralando os preços, forçando promoções e diminuindo o prazo necessário para imitações, que rapidamente neutralizam as vantagens decorrentes de inovações genuínas. As atitudes, as necessidades e o comportamento dos consumidores estão cada vez mais variados, forçando uma revisão da gestão de produtos, da comunicação e dos investimentos em marketing. A consolidação do varejo, juntamente com o surgimento de novos canais, expandiu o significado (e as exigências) das parcerias com os fornecedores e o papel da força-de-vendas.

Como consequência, a gestão de canais, tanto da perspectiva do suprimento de produtos como das vendas, tornou-se um ponto crítico da agenda estratégica. Investimentos em sistemas e tecnologias sofisticadas estão sendo utilizados para melhorar a eficiência. Além disso, a internet firmou-se como parte do ciclo de consumo, seja para a compra, seja para o levantamento de preços e de informações.

Como uma das líderes em consultoria para a indústria de bens de consumo, a Strategy&, parte do network PwC, coloca sua experiência a serviço do setor para garantir sua lucratividade e crescimento sustentável. A firma dispõe de um conjunto diferenciado de competências que complementam as habilidades dos clientes: uma rede global de consultores especializados, com ampla experiência na abordagem de temas estratégicos, operacionais e tecnológicos, além de uma profunda expertise em áreas fundamentais, como estratégia de negócios e de marcas, gestão da cadeia de distribuição e de suprimentos, otimização da força de vendas, eficiência em promoções e marketing, transformação da base de custos e redução de capital de giro.