Serviços Financeiros

Serviços financeiros

Bancos de varejo

Os bancos de varejo passaram por grandes mudanças na última década, incluindo uma consolidação do setor em larga escala, a proliferação de canais alternativos de prestação de serviços e o surgimento de novos concorrentes não baseados na rede de distribuição bancária, como financeiras, negócios baseados em cartões e corretores online. Apesar da reestruturação pela qual passa o setor em diversas partes do mundo, o crescimento ditado por aquisições deve agora se restringir em vários casos. Os bancos de varejo deverão buscar novas oportunidades de crescimento e melhoria do desempenho.

No curto prazo, a Strategy& acredita que os bancos precisarão lidar com as seguintes questões:

  • Melhorias da eficiênciapara preparar-se para um ambiente econômico de menor crescimento, principalmente nos próximos dois a três anos. Adotando técnicas bem-sucedidas em outros setores, como “lean manufacturing”, os bancos podem melhorar seu desempenho de forma significativa.
  • Adoção de modelos de negócios alinhados à preservação e geração de receitas para fornecer, a custos adequados, níveis diferenciados de vendas e serviços a clientes de maior potencial, dependendo de suas necessidades e de seu valor para o banco. Remover as barreiras tradicionais dos “silos de produtos” que limitam significativamente a capacidade dos bancos de assumir o relacionamento com o cliente e maximizar o wallet share. Essa diferenciação é fundamental para eliminar subsídios cruzados para clientes menos rentáveis e a perda de lucro com os mais rentáveis.
  • Redefinição da cadeia de valor do setor bancário para identificar oportunidades e desafios resultantes do surgimento de novos formatos e players especializados, principalmente na fabricação e distribuição de produtos. Esses players representam uma ameaça que deve ser enfrentada pelos bancos de varejo tradicionais.
  • Simplificação dos modelos operacionais, de modo a preparar os bancos para o novo ciclo econômico e permitir que clientes dos mais diferentes segmentos sejam atendidos com qualidade e a custos adequados. Grande parte dos bancos está buscando uma estratégia com foco no cliente, mas o desafio será a implementação de operações e sistemas que possam respaldar a mudança.

A Strategy& vem trabalhando com bancos e operadoras de cartão de crédito em transformações de larga escala para gerar resultados tangíveis. Auxiliamos altos executivos a lidar com questões como mudança de uma organização com foco em produto para foco no cliente, alinhamento dos segmentos de clientes e aumento da eficiência.

 

Bancos de Atacado e Mercado de Capitais

As atividades de Corporate Banking e Mercados de Capitais passam por enormes mudanças neste momento. Após um ciclo de extraordinária expansão, penetração em novos segmentos e diversificação de instrumentos de riscos, a atual crise de confiança e liquidez nos mercados de capitais trará transformações dramáticas tanto na oferta quanto na demanda. Os bancos procuram agora estabilizar suas operações, suas equipes e a presença em mercados e assegurar uma posição de destaque ou sobrevivência na recuperação econômica.

Os players do setor precisarão se posicionar diante de uma série de tendências, como por exemplo:

  • Novo ambiente regulatório e de controle de riscos, que demandarão ações de restruturação de processos internos, recapacitação de equipes e reaparelhamento da governança.
  • Consolidação do setor e mudanças na estrutura do mercado, que posicionarão os participantes em torno dos resultados dos clientes; redefinição do negócio; capacidade excedente e consolidação em escala global, regional e local; e várias outras ações na cadeia de valor.
  • Maior demanda para organizações com foco no cliente, que ofereçam propostas de valor mais claras e que superem as fissuras na imagem dos bancos causadas pela crise atual. As instituições devem melhorar seu atendimento ao cliente sem impor mais pressão sobre o modelo de negócios com sistemas e custos redundantes.
  • Pressão para extrair valor do ambiente de processamento de operações/tecnologia, reconhecendo essa ferramenta como uma alavanca de industrialização que tem um impacto na inovação e na escala, separando a manufatura da distribuição.
  • Migração dos fluxos de capital para mercados emergentes e novas classes de ativos.

Há mais de meio século, a Strategy& tem feito parcerias com grandes players dos mercados de capital, ajudando-os a responder diversas questões sobre estratégia, organização, operações e tecnologia. Nossas equipes globais de consultores vêm trabalhando com empresas de diferentes segmentos, incluindo vendas e comercialização, processamento de transações, corporate finance, corretagem, gestão de fortunas e provedores de tecnologia, para gerar resultados duradouros. Nosso trabalho inclui temas como estratégias de relacionamento com o cliente, transformação organizacional, redução de custos organizacionais, benefícios da integração pós-fusão e sourcing estratégico.

 

Seguros

As seguradoras estão enfrentando vários desafios, incluindo importantes mudanças na demografia, nas necessidades dos clientes e na distribuição por causa das pressões competitivas e regulatórias e do progresso tecnológico.

Como resultado, a Strategy& acredita que as seguradoras precisarão lidar com temas como:

  • Estratégias de participação de mercado: como responder melhor e como capitalizar as mudanças demográficas e das novas necessidades dos consumidores.
  • Estratégias de distribuição: qual será o futuro da distribuição e como as seguradoras podem se posicionar para ganhar participação de mercado e maior participação no valor.
  • Estratégias de posicionamento: como as seguradoras devem se posicionar mais perto do consumidor.
  • Modelo operacional: como as seguradoras podem aperfeiçoar seu modelo operacional para atender os consumidores finais e distribuidores de forma mais eficaz e alcançar novos patamares de eficiência operacional.

 

© 2014 PwC. Todos os direitos reservados.
O termo “PwC” refere-se à rede (network) da PwC ou a uma ou mais de suas firmas membro. Cada firma membro constitui uma pessoa jurídica separada e independente (www.pwc.com/structure).